quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Sites internacionais comentam WANEGBT

Vários sites ao redor do mundo comentaram o novo single da Taylor Swift, We Are Never Ever Getting Back Together, que já começou quebrando recordes de vendas e posições em iTunes de diversos países, incluindo o Brasil. Vamos ver agora o que alguns sites andaram falando do novo single de nossa diva:





MTV:
We Are Never Ever Getting Back Together da Taylor Swift: Sem mais lágrimas.

“We Are Never Ever Getting Back Together” não é apenas fantástica, mas também representa uma reviravolta em sua carreira. Pois é óbvio que, aos 22 anos, com uma mansão em Nantucket, Swift não tem mais interesse em bancar a vítima.

Há uma marca de maturidade na canção, que começa com seu sentimento – sabe, dane-se cara, nós nunca, nunca voltaremos a ficar juntos – e continua em sua sonoridade, guitarras brilhantes e prateadas e coros devoradores (cortesia de Max Martin e Shellback). Não se engane, a canção foi feita para dominar o rádio – e com certeza o fará.

WENEGBT também mostra uma veia confiante e libertadora, que fica evidente no modo como Swift repudia de seu ex-amante vai-e-volta, e na lição que ela aprende no fim da música: não apenas ela está melhor sozinha, como ela está bem com isso. Este é o tipo de coisa que você não percebe no colégio, o que ocorria nos episódios de “olhos sonhadores”, como Love Story. Interdependência é bom para bailes de formatura, mas o mundo real requer independência acima de tudo.

E finalmente, verdadeiramente, Swift abraçou isto. Talvez ela nunca silencie totalmente as críticas, e ela pode ser ainda muito jovem, mas uma coisa é certa, com “We Are Never Getting Back Together” ela provou que nunca mais será a garota em um vestido que chorou durante todo o caminho de casa.
NY Daily News:
O novo single de Taylor Swift, “We Are Never Ever Getting Back Together”, mostra que não é difícil lidar bem com um término de relacionamento

A parte mais interessante do novo single de Taylor Swift não é o refrão, a melodia ou o violão. Nem mesmo a inevitável especulação acerca de quem inspirou a canção.
Na verdade, é o trecho no qual Swift para de cantar e apenas fala com o ouvinte, como se ele fosse sua amiga próxima. Entediada, ela ressalta o tema central da canção, sobre um cara que a machuca e continua voltando para fazer o mesmo. “Ele me liga e ele fala tipo ‘Eu ainda te amo.’ E eu fico tipo, quer dizer, quer dizer, isso é exaustivo, sabe?”

Apesar de alguns fãs terem reclamado que a canção não é contry o suficente e que não soa como Taylor, ela certamente soa. É mais uma canção pop iluminada com um refrão que nem um surdo perderia. Sem surpresa, a música pega emprestado um sopro da sonaridade da canção mais popular do ano até agora, “Call Me Maybe”.

Swift contou ao “Nightline” que a canção é sobre algo que realmente aconteceu com ela, o que não nos deixa dúvida de que se trata de algum namoro vai-e-volta com algum famoso. Não que isso importe. O tema da música é algo pelo qual quase todas as pessoas já passaram.
Billboard:
Esqueça a adoção ao pop delirante auxiliada por Max Martin no novo single de Taylor Swift por um segundo, e pense em como “We Are Never Ever Getting Back Together” é a canção mais divertida que a superestrela country gravou até agora.

Ela sempre foi uma artista que cruza fronteiras, o que é ótimo devido a todas as pessoas que ela traz para nosso formarto. Mas, ela é e sempre será country.

O fato de que podemos discutir sobre a história atrás da canção é melhor ainda. Nós estamos chamando-a de ‘Canção do Jake‘!. Piadas indicam o ator Jake Gyllenhaal sendo a fonte provável do desprezo (apesar de soar animado e divertido) no tema da música.
Pop Crush:
Além de ser uma canção maciça, ela é também uma das músicas mais chicletes que ela já escreveu. Ou neste caso, co-escreveu, uma vez que ela recorreu a Max Martin e Johan Shellback para co-escrever a canção com ela, algo que ela não fez com o antecessor de ‘Red’.

T. Swift tem experimentado a emoção (do rompimento) e ela encapsulou esse sentimento universal em uma otimista e capacitada canção.

No refrão, quando ela declara: “We Are Neve Ever Getting Back Together”, é um forte chute com soco no ar reforçado pela batida acústico. Quem sabia que um término poderia ser tão bom? No mais, é uma celebração sônica de força.

É sua natureza confessional, é essa vibe acessível de melhor amiga fofa, que fará esta uma música que irá conectar um conjunto de garotas de 15 anos experimentando seu primeiro beijo (e sem saber se preparando para sua primeira decepção amorosa).
É exatamente por isso que Taylor Swift é a poetisa laureada das adolescentes e pré-adolescentes. Nenhum se, e ou mas.
Taste of Country:
Swift capta a ira do errado amor jovem melhor do que ninguém. Ela é a duquesa do desdém. O desdém se derrama através de cada nota e cada respiração deste primeiro single do seu próximo álbum ‘Red‘. Se as outras 15 faixas oferecerem mais do mesmo, o sexo masculino terá razões para se preocupar, ter medo, chorar, deixar o país…

Ao contrário de muitos dos maiores sucessos de Swift, a nova música oferece uma melodia que é difícil de aceitar rapidamente. Ela virou os holofotes para si mesma mais do que nunca.

New Now Next:
Soa como… uma música da Avril Lavigne.

“We Are Never Ever Getting Back Together” estará dominando completamente as rádios do país . Da distinta produção musical do vocal pop-punk do estilo linguístico de Swift, com suas pausas faladas, a faixa pertence a uma artista completamente diferente da que conhecemos.

O que não é necessariamente uma coisa ruim. Vários artistas trocaram de gêneros com grande sucesso, e uma vez que Swift é muito talentosa, é emocionante considerar onde ela pode se jogar. (E não vamos fingir que ela não é talentosa. Sua música é para todos? Não. Mas ela é uma compositora forte que ficou melhor com cada álbum.)
Fonte

Taylor arrasando em cada canto desse vasto mundo hahahaha amo/sou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

-Não fale mal de ninguém que já comentou
-Não ofenda as pessoas(atores, cantores, filmes) relacionadas à postagem