segunda-feira, 2 de julho de 2012

Entrevista da Kristen para revista Actu FNAC

Confira abaixo a matéria e entrevista da Kristen Stewart para a revista francesa, Actu FNAC, onde ela fala sobre Snow White and the Hustman:

Kristen Stewart, Charlize Theron e Chris Hensworth recriam o conto de fadas famoso dos irmãos Grimm fazendo uma grande aventura.


Uma adaptação muito livre do trabalho dos Irmãos Grimm, Snow White and the Huntsman foi iniciado por uma roteirista da Disney, Evan Spiliotopoulos, antes de ser revisto pelo iraniano Hossein Amini (The Wings of the Bove, Drive). Adotando do filme de aventura medieval Coração Valente, e da fantasia heróica, essa produção ambiciosa foi dada a um recém-chegado. Na verdade, os produtores Joe Roth e Sam Mercer, a quem devemos Alice no País das Maravilhas e O Sexto Sentido escolheu Rupert Sanders. Famoso por suas propagandas muitas vezes experimental dedicada aos videogames (Halo 3, Call of Duty, Wolverine), Sanders demonstrou um senso de segurança visual, dado a logística e aos efeitos especiais que estão no projeto Snow White and the Huntsman.



Depois de um elenco muito popular, a produção parou a sua escolha sobre a heroína frágil de Twilight, Kristen Stewart, a mais provável para encarnar a metamorfose da doce Branca de Neve em um guerreiradeterminada. Frente a ela, Charlize Theron mergulhou com prazer em uma rainha feroz, para quem a beleza e o poder são dois gumes de uma mesma espada.


Filmando nos estúdios britânicos de Pinewood, a equipe de SWATH aproveitou a oportunidade para completar seu elenco com um desfile dos melhores atores coadjuvantes do cinema britânico (Ian McShane, Bob Hoskins, Ray Winstone, Nick Frost, Toby Jones , Brian Gleeson e muito mais), send0 capaz de se tornar o mais extravagante no menor número de réplicas.


Snow White and the Huntsman, é o desafio de uma nova história, de um novo diretor e um novo tipo de personagem para Kristen Stewart.


Encontro com Kristen Stewart


Marcada pela sua personagem de uma menina doce na franquia Twilight, Kristen Stewart, mais guerreira e corajosa em Snow White and the Huntsman, lembra-nos seus desejos como atriz, evoca sua admiração sem limites para Charlize Theron e retira o rótulo que os jornalistas têm colocado sobre ela.


- Snow White and the Huntsman é uma produção imponente e primeiro filme de Rupert Sanders. Será que você se preocupou com isso?
K: Eu não tive qualquer receio, porque Rupert é muito talentoso. Ele tem muitas experiências, uma verdadeira sensação visual; ele usa a imagem de uma maneira poderosa. Ele faz seus personagens viverem em um universo muito perigoso, onde o cenário é um protagonista por conta própria. Seu uso de imagens é evocativo.


- O que a convenceu a fazer parte do projeto?
K: Evidentemente, Rupert e o roteiro foram os principais motivos. Mas a presença de Charlize também foi para mim um coluna real do projeto. Ela foi escolhida para o papel da rainha antes de eu chegar e quando eu soube disso, eu sabia que queria fazer este filme. Eu cresci na admiração desta atriz. Ela é a sua própria referência. Foi fantástico e, ao mesmo tempo muito intimidador.


- Você estava intimidada?
K: Sim, nervosa e intimidada. Eu respeito muito a Charlize, como atriz e como mulher. E ela superou o que eu estava esperando. Mas quando você trabalha com essas pessoas, você quer impressioná-los, dar a eles o melhor de si. Principalmente em nossas cenas que são muito intensas, antes de filmá-las trocamos os nossos pontos de vista sobre os nossos próprios personagens. Isto é o que permitiu essas cenas serem quase como cenas de luta, porque segurou bem os seus conflitos. Por exemplo, esta rainha foi levantada na idéia de que sua beleza era importante para o seu poder. Mas Branca de Neve consegue ver através deste diabólico personagem, ao descobrir uma outra forma de beleza. Sua principal arma é a luz que ela carrega em si mesma, sua intuição.


- Depois de Twilight, você está sendo assistida pelos seus fãs e por aqueles que querem vê-la cair. Como você lida com esse extremo?
K: Você sabe, eu fico nervosa rapidamente no caso que eu tenha que falar sobre o meu trabalho. Eu não gosto da idéia de que algumas pessoas usam a minha timidez para deduzir que algo não me interessam. Se é por isso que eles não gostam de mim, eu posso provar que eles estão errados. Se eles não gostam de mim por quaisquer outras razões, não se preocupe, eu vou continuar a ser feliz fazendo o que eu faço.
Fonte

Para conferir os scans da edição da revista, clique na fonte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

-Não fale mal de ninguém que já comentou
-Não ofenda as pessoas(atores, cantores, filmes) relacionadas à postagem